Gilson Kleina na Ponte Preta: boa relação com os jogadores, mas sem padrão tático - ClicRDC | Notícias de Chapecó e do mundo

Gilson Kleina na Ponte Preta: boa relação com os jogadores, mas sem padrão tático

Jornalistas de Campinas falam sobre o perfil do novo técnico da Chapecoense.

Gilson Kleina, o novo técnico da Chapecoense (Ponte Preta)


O novo técnico da Chapecoense, Gilson Kleina, tem um bom relacionamento com os jogadores e funcionários, mas não consegue manter um padrão tático do jogo. É assim que dois jornalistas de Campinas descrevem a passagem do treinador pela Ponte Preta, entre março e setembro deste ano.

Gilson Kleina chega na quinta-feira em Chapecó para assinar contrato até dezembro de 2018. A sua missão é salvar o Verdão do rebaixamento para a Série B. Confira o que os jornalistas Pedro Orioli e Vinícius Bueno falaram ao programa Golaço, da Rádio Oeste Capital, sobre o trabalho de Kleina na Macaca.

Pedro Orioli, Rádio Central AM 870

Pedro Orioli, repórter setorista da Ponte Preta na Rádio Central AM de Campinas (Arquivo pessoal)


“O Gilson Kleina teve apenas uma vitória nas últimas sete partidas. Foi um momento tenso. Como ponto alto, conquistou o vice-campeonato Paulista. O trabalho dele foi considerado decepcionante por conta da falta de padrão de jogo. Eram constantes as alterações no time titular. O Kleina sequer havia definido um esquema para a Ponte Preta. Faltou uma atualização do treinador ponte-pretano. Acredito, na minha opinião, que falta ao Gilson Kleina alguém, ao seu lado, que entenda taticamente. Talvez alguém com uma cabeça mais jovem. Como ponto positivo, sem sombra de dúvidas, a boa relação com o grupo. Tinha um nível de aceitação muito grande, acima de 80% pelos jogadores da Ponte Preta. Isso também deverá se repetir na cidade de Chapecó”.

Vinícius Bueno, Rádio Bandeirantes

Vinícius Bueno, repórter da Rádio Bandeirantes de São Paulo (Arquivo pessoal)


“Tive a oportunidade de acompanhar uma boa parte do trabalho do Kleina na Ponte Preta. O que se viu foi um trabalho que deu muito certo no começo, mas que depois acabou perdendo fôlego. O Kleina chegou, as coisas deram certo, por que ele essa característica de aproximar os atletas, de fechar o vestiário em torno dele. E ele tem um ótimo convívio com todos os funcionários do Clube, imprensa e boleirada. A informação que nós temos, é que os churrascos para unir o elenco eram comuns, esses encontros aconteciam pelo menos uma vez por semana. O vice-campeonato Paulista colocou um balde de água fria na campanha, que era muito boa. No Brasileiro, definitivamente não foi legal para a Macaca sob o comando de Gilson Kleina. Foram mais derrotas do que vitórias. Talvez a falta de repertório tenha sido crucial para que ele tenha sido demitido da Ponte Preta”.

Comentários do Facebook