Chape cria comissão técnica permanente no futebol profissional

Intenção é valorizar os profissionais formados no Clube, criar uma identidade profissional e ter uma continuidade no trabalho.

Atual comandante da Chape, interino Emerson Cris faz parte da comissão permanente do Clube (Sirli Freitas)


A unificação do trabalho, que inicia nas categorias de base e tem seu êxito no futebol profissional é tido como um pilar de sustentação para o sucesso da Chapecoense e também para a valorização profissional de funcionários, jogadores e colaboradores.

Seguindo essa unificação, 2017 marca uma nova era no Clube que cada vez mais consegue colher os frutos do trabalho que vem sendo realizado por todos os setores. Neste ano de reconstrução a diretoria de futebol, endossados pelo presidente Plínio David De Nes Filho, instituiu no clube a Comissão Técnica Permanente de Futebol, que tem como objetivos principais, valorizar os profissionais do clube, criar uma identidade profissional, carregar o DNA do clube e ter uma continuidade no trabalho.

O diretor executivo do clube, Rui Costa, comenta a importância deste novo momento do futebol profissional da Chapecoense. “Nós tínhamos muito desafios aqui na Chapecoense, mas mesmo diante deste quadro tínhamos alguns projetos e um deles era valorizar os trabalhadores da casa. Paralelamente à construção de um plantel de jogadores, tivemos de reconstruir os departamentos. A busca por perfis e também por profissionais dentro  do clube foi realizada e hoje em sua maioria temos profissionais que já eram do casa na comissão técnica da Chapecoense”, explica Rui Costa.

Comissões técnicas permanentes estão cada vez mais populares mundo afora. É nisso que o departamento de futebol do Clube se espelha.” Isso é uma tendência no futebol atual é que nos instiga a bastante tempo. Com esse trabalho o clube consegue ter uma continuidade nas ações realizadas e mesmo com treinadores que possam ser contatados, você garante o suporte da comissão técnica que é da Chapecoense. Essa é uma conquista ilustrada pela permanência do Emerson e de vários outros profissionais que integram essa equipe”, completou o diretor-executivo de futebol.

Grupo de trabalho

Hoje fazem parte da Comissão Técnica Permanente os profissionais, Emerson Cris; o preparador de goleiros, Marcelo Kunst; o preparador físico, Marcos Cézar, que começaram suas trajetórias na Base da Chape; e o fisiologista, Lucas Lemes. Além destes, Juliana Pinheiro, nutricionista; André Mattiello, técnico em resgate de urgência/emergência; Adriano, Massagista; Willian, auxiliar de preparação física; Evandro Dallgnol e Valdecir Ronning, mordomos, fizeram o mesmo caminho.